Artigos

Precisamos reinventar nossa visão do amor.

amor
Foto: Freepik

Temos pena de alguém com braço quebrado, ajudamos a pessoa a abrir a porta e somos gentis em relação a sua limitação. Entretanto, quando alguém tem a “alma” machucada, a história muda, justamente por ela aparentar normalidade, não a olhamos com a mesma compaixão. 

Confusos pela influência de Platão e criados assistindo Disney, crescemos com a ideia de que os relacionamentos são contos de fada. Esquecemos que humanos são seres falhos, incluindo nós mesmos. Medo de se machucar novamente, insegurança de não ser bom o suficiente ou de não ser aceito pelo outro ao mostrarmos nosso lado mais hostil – tudo isso nos assombra e como consequência surgem novas couraças. Temos desejos e expectativas que secretamente aguardamos que o outro solucione como num passe de mágica.

Você não entende quem você é 100% então porque esperar que o outro entenda? Essa cobrança é irreal. A tal bola de cristal onde o outro deve ler nossa mente e saber quando estamos chateados. Se a pessoa me ama ela sabe o que estou sentindo (será?!!). Romantismo nos arruinou ao pregar que o outro é uma extensão do nosso ser e que com amor, todos nossos problemas serão solucionados e seremos felizes para sempre. 

Como saber se você está pronto para o amor? Quando entender que você é falho e o outro também é. Que a comunicação algumas vezes será truncada, mas você buscará uma forma mais assertiva e terapêutica de se colocar. Quando você entender que muitas vezes terá que expressar seus sentimentos em palavras claras, pois o outro não consegue ler seus pensamentos. O segredo está na arte de negociar as diferenças de forma generosa e muitas vezes com certo grau de humor.

A pessoa certa não é a pessoa que tem total compatibilidade, mas sim a que consegue negociar as tais diferenças de forma amorosa.

Confundimos amor com a familiaridade com nossa história, diga-se familiaridade com os problemas que já estamos acostumados. Tentamos repetir o mesmo padrão que fomos criados, o que nossos pais nos ensinaram sobre relacionamentos e forma de amar. Tendemos a repetir os mesmos padrões e a projetar histórias do passado na pessoa que estamos no momento presente. Isso pode ser a fonte de muita confusão. Das pessoas que se fecham por medo de se machucar, as que de relacionam de forma rasa, se mantendo na defensiva por algum trauma passado.

Amor não é apenas um sentimento, é uma habilidade. Habilidade de se entender e entender o outro. Por ser uma habilidade, é possível nos aprimorar na arte de amar ao nos investigarmos, ao desenvolver inteligência emocional para não levar tudo para o lado pessoal, ao melhorar nossa forma de nos expressar sem atacar ou criticar o outro.

Erika Rodrigues
QUALIDADE de VIDA &NUTRIÇÃO 
Ajudo pessoas a irem além de suas limitações 
Nutricionista 
Master Coach pelo @ibccoaching 
Colunista @brasilrun e @mahamudrabrasil
ONLINE Coaching
www.erikarodrigues.com.br


ONLINE Coaching
www.erikarodrigues.com.br

Instagram:  @erikarodrigues.com.br

Curtiu? Veja outros artigos de nossos colunistas aqui!

Conheça a Brasil Run Store e tenha acesso as melhores marcas nacionais e internacionais de suplementos e alimentos funcionais.


Newsletter

Publicidade