Você Sabia?

Seu quadril também sofre com a corrida! Entenda mais.

Quadril
Quadril

O quadril também pode ser bem prejudicado pela corrida e não só os joelhos e tornozelos. Muita gente pode inclusive já sofrer com alguns sintomas mas sem saber que é essa parte do corpo a origem das dores. Por isso, é bom entender quais são e como evitar as lesões mais comuns do quadril e correr sem preocupações.

Uma das causas de boa parte das lesões no quadril é a falta de alongamento. A maioria dos problemas nessa área são as distensões musculares, entre elas a chamada tendinite no quadril. E um bom alongamento antes e depois dos treinos e das provas pode ajudar a evitá-los.

Especialistas fazem um alerta: quem corre grandes distâncias regularmente pode prevenir lesões com um treinamento muscular e consultando um especialista. Fazer uma avaliação ortopédica com uma radiografia de bacia e exame com um médico são essenciais já que nem sempre a dor é fácil de detectar.

Alguns dos sintomas que podem ser reflexos de um problema no quadril são dor no joelho, fisgadas no glúteo, dores na virilha e dificuldade para andar.

Entre as lesões mais comuns no quadril estão:

MUSCULATURA FRACA: o quadril, na verdade, é uma articulação formada pela união entre a pelve e o fêmur, o osso da coxa. Um estudo publicado na revista Sports Health por pesquisadores da Universidade de Calgary, Canadá, culpa o quadril por boa parte das lesões nos joelhos e abaixo deles sofridas por corredores. A pesquisa diz que até problemas como a tendinite de Aquiles e dores na sola do pé têm muito mais a ver com a falta de fortalecimento da musculatura da bacia do que com quantos quilômetros o atleta corre. Essa falta de força na região da bacia aumenta a força sobre os joelhos e os pés, causando essas dores. Para evitar dores nessa área, faça 3 séries de 10 repetições cada de exercícios específicos para o quadril.

DISTENSÕES MUSCULARES: A grande maioria das lesões que afetam a bacia são resultado de distensões musculares, como é o caso da tendini­te do quadril. As distensões afetam prin­cipalmente corredores de longa distância e aqueles que fazem muitas provas de intensi­da­de alta, por exemplo, que incluem subidas. Diante da distensão, você deve repousar o músculo afetado e o ideal nesse caso, é aplicar gelo no local a cada duas horas, entre 20 e 30 min, por até 48 horas.

FRATURA POR ESTRESSE: mais frequente em mulheres, afeta especialmente atletas de longa distância. O grupo mais susceptível a essa fratura são os iniciantes que começam a aumentar a sua quilometragem, intensidade ou frequência do treino de forma abrupta e geralmente ocorrem na cabeça do fêmur, a região mais frágil desse osso. Essa área é submetida a forças enormes durante a corrida e com isso, o osso pode sofrer uma fissura.

Se sentir qualquer desconforto ao correr, procure especialistas, mas principalmente, evite as lesões treinando de forma correta, fazendo alongamentos e exercícios de força!

Fonte: Sportlife

Leia aqui também sobre a Pubalgia, lesão também comum no quadril de corredores.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar o post

Newsletter

Publicidade