Chama o Doutor Você Sabia?

Um hábito simples pode te ajudar a dormir mais rápido

Nós já falamos aqui algumas vezes sobre o poder que uma noite mal ou bem dormida pode ter na sua performance na hora de correr. Calmantes naturais, rituais de yoga, suplementos e diversos métodos surgem para ajudar todo mundo que tem dificuldade em deitar e dormir tranquilamente. Se você tem o hábito de ficar rodando e rodando na cama até pregar os olhos de vez, pesquisadores da Universidade Baylor, nos Estados Unidos, tem uma sugestão para ajudar o sono a chegar mais cedo: reservar cinco minutos para escrever as coisas que deseja fazer nos próximos dias.

Em comunicado ao site da universidade, Michael Scullin, principal autor da pesquisa, comentou que, hoje, essa lista de tarefas só cresce – e aquilo que deixamos de realizar tende a nos causar preocupação justamente quando colocamos a cabeça no travesseiro. Por isso, ele quis checar se o ato de escrever essas informações (em vez de só pensar nelas) poderia amenizar a dificuldade de dormir.

Para a experiência, o cientista e sua equipe recrutaram 57 universitários para passar uma noite no laboratório da faculdade. Enquanto uma parte foi incentivada a escrever tudo aquilo que devia se lembrar de fazer nos próximos dias, a outra turma anotava as tarefas que havia completado nos dias anteriores.

Os especialistas esperavam um dos dois resultados: registrar sobre o futuro poderia aumentar a ansiedade em relação às tarefas não concluídas e, assim, prejudicar o sono, ou essa atividade ajudaria a descarregar tais pensamentos, facilitando o descanso.

Bem, os dados mostraram que a segunda hipótese prevaleceu. Quem botou no papel os planos para o futuro conseguiu dormir, em média, 9 minutos mais cedo, um valor considerado significativo pelos estudiosos. Afinal, quando se diz respeito ao nosso sono, cada segundo é precioso.

“Nós selecionamos adultos jovens e saudáveis, então não sabemos se esses resultados podem se generalizados para pacientes com insônia. Apesar disso, atividades de escrita já foram reconhecidas por ajudar esses pacientes”, apontou Scullin. Que tal deixar a caneta e o papel no criado-mudo e fazer um teste? #BrasilRun

Fonte: Revista Saúde

Sobre o Autor

Equipe Brasil Run

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar o post

Newsletter

Publicidade