O COVID-19 ainda é considerado algo novo, o que se sabe é que a doença provocada por esse vírus, afeta diretamente os pulmões, que podem acabar com lesões permanentes.

A maior parte das pessoas que testaram positivo para a doença, tiveram sintomas moderados, leves ou, até mesmo, nenhum. Apenas alguns pacientes evoluem para um quadro de doença respiratória grave.

Caracterizado com falta de ar, respiração rápida, tonturas, batimentos cardíacos acelerados e transpiração excessiva. Nesses casos, o recomendado é que a pessoa procure uma unidade de emergência rapidamente.

A doença é transmitida por gotículas da saliva ou espirro, que carregam o vírus pelo ar e se depositam nas mucosas, por isso, é bom se cuidar e se prevenir contra esse mal.

Os pacientes com doenças respiratórias são um dos maiores grupos de risco. Pessoas com asma, bronquite, doença pulmonar, entre outros, apresentam alterações respiratórias que se agravam com a COVID-19.

Essas pessoas apresentam pulmões previamente inflamados, o que pode agravar muito o processo inflamatório da infecção, favorecendo os piores desfechos.

Estudos apontam a possibilidade de pacientes que se recuperaram da COVID-19 apresentarem danos permanentes nos pulmões. Pesquisas feitas na China comprovaram que muitas pessoas apresentaram esse quadro após a doença.

Por isso, é preciso ter muita cautela depois de testar positivo para o COVID-19, principalmente em se tratando da volta a prática de exercícios físicos, para não prejudicar a saúde que ainda pode se encontrar debilitada.

Como voltar a treinar depois do COVID-19

covid

Um caso que foi muito acompanhado na mídia, foi em relação a digital influencer fitnnes Gabriela Pugliesi que testou positivo para a doença, e teve que se manter em isolamento residencial.

Gabriela Pugliesi como todos sabem foi contaminada pela doença corona vírus durante o casamento de sua irmã, realizado no estado da Bahia. Hoje ela já se encontra recuperada da doença.

A digital influencer retomou os treinos de maneira consciente, pois, sabe que a doença debilita o organismo. Portanto, apesar de não estar no grupo de risco, optou por retornar aos exercícios de forma leve.

Seus primeiros treinos, por exemplo, foram com uma sessão de alongamentos da ioga, dentro de sua sala, sem sair de casa, ela realizou vários movimentos e relatou se sentir bem após a atividade.

Apesar de algumas semanas depois de recuperada, a mesma tenha quebrado as regras de isolamento e feito uma reunião com amigos em casa, o que causou grande polêmica nas redes, não se pode negar que ela comprovou como uma boa saúde faz a diferença.

Portanto, quem testou positivo para o COVID-19, e se encontra recuperado da doença, deve retomar suas atividades físicas começando de maneira mais leve, sem colocar sua saúde em risco.

Curtiu? Então leia aqui também sobre se os problemas respiratórios melhoram ou pioram com os exercícios.