Existem lesões que são mais comuns nas atletas do sexo feminino, e isso porque as mulheres sofrem muito mais com lesões em corrida do que os homens. Em outras palavras, o segredo está na mecânica do corpo das mulheres.

Separamos esse artigo para falar sobre as lesões que mais afetam as mulheres corredoras. Se deseja saber mais sobre o assunto acompanhe até o final.

5 lesões que mais afetam as mulheres corredoras.

mulheres
  • Joelho do corredor.

A síndrome da dor femoropatelar, ou “joelho do corredor”, é a irritação da cartilagem na parte inferior da rótula. Cerca de 40% das lesões de corrida são lesões no joelho.

E para começar nossa lista, saiba que as corredoras sofrem muito mais dores no joelho. Normalmente isso ocorre durante ou após longas corridas. Por isso, todo cuidado é pouco nessa hora.

  • Tendinite de Aquiles.

O tendão de Aquiles conecta os dois principais músculos da panturrilha à parte posterior do calcanhar. Sob muito estresse, o tendão aperta e fica irritado, causando a tendinite.

E o problema tem um número muito elevado de lesões entre as atletas de corrida, sendo as mulheres sempre mais afetadas. E isso porque as corredoras têm uma resistência diferente se tornando mais vulneráveis.

  • Fasciíte plantar.

É verdade que nossos pés absorvem uma força várias vezes maior noss peso corporal. A inflamação de tendões e ligamentos que vão do calcanhar ao dedos dos pés é uma queixa comum entre corredores.

A dor normalmente parece uma dor maçante, ou uma contusão ao longo do arco, ou na parte inferior do calcanhar. E geralmente é a pior das lesões que afetam em larga escala as mulheres.

  • 4- Síndrome do estresse tibial medial ou “dores nas canelas”.

Normalmente, resultando em dor no interior da canela, essa condição é clássica associada aos corredores. Portanto, com mulheres existe uma prevalência um pouco mais alta que os homens.

Corredores menos experientes são mais propensos a esse problema, e vamos explicar melhor porque isso acontece, tanto com o sexo masculino quanto com o feminino.

Novas evidências científicas explicam que essa condição se deve ao estresse repetido na frente da tíbia, que desaparece gradualmente à medida que o osso engrossa quando o iniciante se acostuma ao impacto.

  • 5- Fraturas por estresse.

Uma atividade simples como a nossa querida corrida, pode resultar em fraturas por estresse, pois, sua carga repetitiva pode superar a força de ossos normais.

As fraturas por estresse são mais comuns em corredoras de alta intensidade e naquelas com pés arqueados altos ou músculos da panturrilha tensos. Portanto, se cuide, e não deixe nenhum desses problemas atrapalharem sua performance!

Curtiu? Então leia aqui também sobre porquê a osteoporose ataca mais as mulheres.